“Você sabe como são as mulheres, manipulam tudo. Isso conta o coração e os pensamentos. Mulher quando ama, se entrega. Dá a cara pra bater mesmo, joga pra valer. Não precisa de promessas, de dizer que vai fazer isso ou aquilo. Mulher quando está apaixonada diz a verdade. Às vezes jogam sujo, trapaceiam ou fogem, certo? Mas, nunca conseguem ignorar um assunto. Te olham com doçura e prestam atenção em tudo. Você conhece mesmo as mulheres? Porque elas gostam tanto de uma discórdia, uma confusão? Quanto mais tempo passo com uma, menos as entendo. Porém, para a minha sorte, conheço muito bem a minha. Nunca foi de receber nada pela metade. Não ouvia uma música pela metade, por mais que fosse ruim, esperava ser surpreendida pelo menos no refrão. Não deixa uma conversa pela metade. Etc. Imagina receber um amor pela metade? Não fazia o estilo dela. E você sabe do que eu falo. Elas gostam de reciprocidade. Toma cuidado. Ferir uma mulher, é mais fácil do que ferir dez homens.”
Back at her, stupid.  (via vivificare)
“Eu aprendi que a melhor saída para não ter um coração partido é fingir que você não tem um.”
Two and a Half Men. (via reprovador)
“Quando você se aproximou, imediatamente ergui uma placa onde estava escrito ” Se você quer alguém que saiba amar bonitinho, por favor, não se aproxime!” Porque eu não sei amar assim. Amo com ciúmes, com birra, com briga e com todo egoísmo do mundo. Se a pessoa é minha, eu não aceito dividi-la com ninguém. E quando ela não for mais minha, não vou desejar que ela seja feliz também. Horrível, não? É meu instinto. Amo com intensidade, paro, penso. Não ajo por impulso, analiso a situação. Porque tudo vai bem quando se começa bem. Mas volto a dizer, por mais que eu tente, não sei amar bonitinho.”
Lázaro S. acompanhado por Samille L.  (via pronuncio)
“Sabe quando você compara seu choro a chuva, então, essa menina era inigual. Ela não chovia ela nevava.”
It is an iceberg? Not, Alaska.  (via romeuemcrise)

mafagafios:

Chovia tanto lá fora, e como chovia! Uma confusão de raios e trovoadas que eu já nem mais sabia se o grito era da chuva ou meu.

1807, O baú de palavras perdidas.

“Quem é você que se esconde
atrás de um nome qualquer?”
Tiago Iorc e Maria Gadú.  (via carencias)

Deixa que eu te cuido.

Que nos encontremos mesmo com todos esses desvios.

lovepeacehappy:

Eu tenho amigos por toda parte. Na praia, cinema, teatro, favela. Amigo jornalista, garçom, vagabundo. Meu negócio não é somar, é multiplicar. Sozinho não dou conta. Eu ando em bando, camuflado, descarado, fazendo festa. O tempo inteiro me sinto em casa no meio da rua, na madrugada, na multidão. Eu sou da tribo do abraço.

Cazuza


mists